Villa Ordos100

Memória descritiva
O maior desafio colocado por este projecto –  VillaOrdos100  – foi o de trabalhar num território e para um cliente absolutamente desconhecidos, num país (para nós) tão distante como a República Popular da China. A este desafio somava-se outro –  o de este projecto se desenrolar num contexto de 100 jovens equipas de arquitectos às quais foi dada total liberdade para pensar, desenhar e construir uma casa de 1000m2.

Se por um lado a quase inexistência de condicionantes ao projecto de arquitectura o tornava, paradoxalmente, difícil de desenvolver, por outro lado o carácter experimental e sedutor da própria situação – 100 jovens arquitectos oriundos de todo o mundo e escolhidos pelos arquitectos suiços Herzog&deMeuron – forçou-nos a explorar um conceito de projecto que pudesse lidar com as inúmeras incógnitas que moldavam todo o processo criativo.

A solução por nós desenvolvida passou por uma linha/parede curva que desenha o interior e o exterior do edifício, num continuum que permite criar espaços fluidos e dinâmicos no seu interior e confere, simultaneamente, desenho às suas fachadas. Esta opção permitiu-nos, ainda, aumentar tanto o perímetro do edifício, cumprindo a implantação pré-definida, quanto trazer luz ao interior de um volume que, devido às condicionantes da referida implantação e à área de construção do projecto, era possuidor, logo à partida, de uma grande densidade.

O estímulo de desenhar uma casa para a China só tem equivalente na expectativa criada pela originalidade dos 100 projectos distintos, pensados em simultâneo para um mesmo lugar. No entanto, eles não poderão ser percepcionados como um todo mas sim como a soma de várias partes, cada uma delas dotada de autonomia e individualidade. E neste (aparente) paradoxo residirá o desafio maior da VillaOrdos100.